quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Crônica 19: O SAPATO

Com tanto tempo de mesa eu fui aprendendo algumas coisas sobre as pessoas. Uma delas diz respeito aos sapatos escolhidos. Alguém já parou para prestar atenção aos sapatos alheios? Ou até mesmo aos próprios sapatos?

As mesas do salão, onde sou servido, são aquelas de tampo transparente. Algumas têm nervuras. Outras são lisas. Por isso, consigo enxergar tão bem os sapatos. E são de todos os tipos. Chanel, scarpin, masculino, engraxado, fosco, sandália, chinelo e por aí vai.

Hoje. Por exemplo. Estou em uma mesa com um casal. Ela usa scarpin forrado. Tecido colorido. Deve ser uma pessoa exagerada. Que gosta de se destacar em meio aos outros. Deve adorar dourado. Ir às compras deve ser um de seus passeios prediletos. Digo isso porque ao cruzar as pernas notei que a sola estava limpa. Pouco uso. Imagino que tenha pilhas de sapatos em seu closet.

Já ele, usa uma havaiana surrada. Daquelas bem confortáveis. Que já estão até com a marca do pé gravada. A sola então... Um Deus nos acuda. Tem até a marca de um chiclete que um dia grudou ali. Saiu. Mas ficou marcado.

Um Scarpin novo e uma havaiana usada. Com certeza o que ele menos quer é ir ao shopping. Deve fugir de compras. Provavelmente não gosta de se sentir preso a normas sociais. Moda, por exemplo. E seu guarda roupas deve ter o básico. Calça. Camisetas.

O que me leva a imaginar que a havaiana triste e o scarpin reluzente muito têm em comum. Ele também deve gostar de se destacar na multidão. Só escolheu uma forma diferente de fazer isso. Não fosse assim, ele estaria de sapato ou tênis. Considerando o frio que anda fazendo em São Paulo.

Talvez a havaiana seja apenas estilo e, se assim for, ele também está preocupado com a moda. Ou, não fugiria tanto dela. Possivelmente tem discursos prontos sobre a alienação do mundo fashion. A escravidão dos modelos de perfeição. O corpo perfeito. A falta de personalidade e a massificação provocada pelo consumismo desesperado em busca de apenas aparência.

Blá. Blá. Blá. É. Sapatos podem revelar muito sobre quem os usa. Não mentem. Não ludibriam. Apenas são. Objetos. Exatamente como eu. O seu cafezinho. Apenas sou um cafezinho. Sirvo. Venho até sua mesa da forma como você quiser. E observo. Tento decifrá-los. Não consigo. Mas consegui entender que mais que estética e prazer, sapatos e cafés são uma questão de estilo de vida.



Mariana Primi Haas - MTB 47229 
Setembro/2008

9 comentários:

ANGELICA disse...

Mariana Adorei tomar esse cafezinho com VOCÊ! Com certeza o estilo está no sapato e em detalhes que nos entrega! Saudades de VOCÊ! Com carinho Angelica

Eloyr disse...

Mariana, realmente a gente se mostra (ou se entrega) pelas escolhas que fazemos....eu sou da turma da havaiana. rsss

Mázinha disse...

vc escreve super bem, hein... onde vc escondeu esse talento todo? mesmo que não deixe recadinhos, toda terça, tenho encontro marcado... rs... ainda mais eu, que gosto pouco de café... rs saudade muita, viu! gde bj

Regina disse...

Faço parte da comunidade "Amo sapatos"... e é exatamente isso que vc descreveu, vitalizou, seu sapato - é você. Seja pelas escolhas, seja pelas não esoolhas, pois já dizia meu avô Arthur: pé de pobre não tem tamanho.

Fernando disse...

A havaiana triste é algo que não posso concordar...essa sim esta feliz e despreocupada com os outros, não precisa provar e mostrar nada a ninguém, a não ser dar o maximo de conforto ao pé que abriga....o sapato, preocupado em ser reluzente, não irá transmitir nunca o conforto de uma havaiana....seu objetivo é outro, agradar aos outros, e não ao pé sofrido que carrega....

Márcia disse...

Parabéns pelo texto. Coincidentemente, li tomando um café...

Fernando Rubano disse...

Mariana.Parabéns gostei do Texto Um café é sempre bom para acompanhar uma boa conversa. Quanto a sapatos:O charme das pessoas muitas vezês nota-se no andar,parace que os sapatos dirigem nossos passos.Havaianas vieram e ficaram."Estão nos meus pés". Beijos/Sucesso.Vá em frente

vanessa disse...

É Mari, definitivamente somos oque vestimos ou melhor oque calçamos rsrrs... acho q sou um pouco dos dois, adooooro um chinelo mais me sinto poderosa em cima de um salto alto! ABraços!

Tally disse...

O meu all star imundo quer dizer o q? Que eu não tenho grana pra um novo, imagino, uahahahhhaha