terça-feira, 7 de outubro de 2008

Crônica 21: A ELEIÇÃO

Terei que ser um pouco repetitivo. Novamente nosso tema será a eleição. Inevitável. Perto de onde moro, ou seja, da minha cafeteria, há uma escola que funciona como zona eleitoral. Seria impossível não falar nesse assunto.

Após a votação. Com o dever cumprido. Muita gente se senta por aqui para conversar. Encontrar amigos. Fazer hora. Acompanhar o resultado das urnas pelo Laptop. Enfim, muitos passam por aqui. E eu, que não sou bobo. Acompanho as conversas.

São vários os perfis. Há o desinteressado. Ele votou por obrigação. Acha aquilo tudo uma bobagem. Normalmente solta frases do tipo: Votar é uma chatice. A política não interfere na minha vida!”. Será? Essa pessoa provavelmente nunca se deu conta do que seria viver em sociedade. Dividir um espaço público. Nunca pensou nos impostos que paga.

Há também o idealista. Este é bastante interessante. Embora muitas vezes não perceba que o ideal pode ser impraticável. Mas tem um partido ao qual é fiel. Sabe bem o que quer da política. A importância desta para a sociedade. É um apaixonado.

Bastante comum também é o estilo consciente. Acompanha os jornais. Sabe que se passa no mundo. Tem uma opinião formada. Não se deixa influenciar. De forma geral escolhe seu candidato avaliando propostas. Partido para ele é o que menos importa. Leva em consideração a figura do político.

Poderia citar aqui uma infinidade de perfis. Só observando meus apreciadores. Mas o que mais me entristece são aqueles que perderam a fé. Muitas vezes anulam seu voto. Deixam de escolher. Perdem a oportunidade de expor sua opinião. Eu entendo. Pelo que leio nos jornais alheios, a vida política brasileira está uma pouca vergonha.

É um escândalo novo por dia. Aliás, quero deixar claro que não é culpa do cafezinho esse monte de roubalheira. Digo isso, porque sempre ouço: “na hora do café tudo se resolve”. Voltando. Fico decepcionado quando vejo jovens desestimulados a votar.

Pode ser mais do mesmo. Pode sim. Mas é a sua hora para tentar mudar o que não gosta. A urna é onde estarão depositadas suas expectativas. Seus valores. Seu estilo de vida. Acho lamentável alguém simplesmente abrir mão dessa chance. Não vote contra alguém. Vote a favor de uma cidade melhor. Para todos que a habitam. Este café fica longe das urnas. Mas bem perto dos eleitores.



Mariana Primi Haas - MTB 47229 
Outubro/2008

8 comentários:

Edi disse...

Oi Mariana, Adorei a surpresa e o seu trabalho. Parabéns pelo talento!Beijos

Alexandre disse...

Mariana, os comentários são muito reais. Tudo de bom!!!!

Tania Broaska disse...

Gostei muito do seu Blog.Inteligente. Parabéns pelo criterioso modo de expressar. Parabéns mesmo!!! Abraços

Fernando disse...

Faltou falar do perfil do mesário!!! Segundo o proprio governo, "sem os mesários a eleição não aconteceria"...e tome cafezinho pra aguentar todas essas pessoas votando, a grande maioria com o sentimento de obrigação...para reclamar todo mundo é bom, agora fazer acontecer ninguem quer..

Elaine Leme disse...

Oi, Mari Está de Parabens pelo texto!! Eu juro que não te asssusto mais na Paulista.kkkk Foi mal! beijos

Waldemar Paioli (Presidente) disse...

MARIANA, Seu blog é sucesso! Estamos trabalhando pelo restabelecimento da verdade democrática. A Pátria agradece

Hilda e Pedro disse...

Gostamos muito dos comentários feitos pelo cafezinho.Ele expressa o que também pensamos. Você é a nossa neta querida e talentosa. beijos

Gilberto disse...

Sucesso! Comentários inteligentes. Um belo café!