quinta-feira, 23 de abril de 2009

Crônica 47: A Bola da Vez


Hoje reencontrei uma amiga que não via há tempos. Fiquei tão feliz. Mas foi por pouco tempo. Ela sentou. Pediu um café. Olhou em volta. Procurou. Não achou. Chamou o garçom e pediu um cinzeiro. Nesse instante foi informada que ali não poderia mais fumar. Ela então, por respeito a mim, aguardou que eu chegasse. Bebeu-me friamente. Num gole só. Deixou o dinheiro em cima da mesa. Ao meu lado. E foi embora.
Eu fiquei ali. E eu perdi uma amiga. E perderei muitos mais. Não sei se é de conhecimento de todos, mas meus melhores e mais fiéis amigos são os fumantes. Proibir alguém de fumar enquanto toma um café é pedir para que ele não tome mais café.
Pois é, cada época tem seu vilão e a bola da vez é o tabagismo. Tudo bem. Não estou aqui para defender o cigarro. Para dizer que é bom que se fume. Ou ainda levantar uma bandeira. No entanto, entendo que permitir a existência de “Áreas de fumantes” adequadas ou espaços dedicados a essa prática é fundamental.
Fumar é uma atividade lícita. Assim sendo, torna-se impensável e impraticável o veto proposto. Nesse momento muitos de vocês irão usar alegações como: “mas e os fumantes passivos?”. A resposta é rápida e fácil: “devem se mudar da cidade de São Paulo, já que não gostam de fumaça e/ou poluição”. Só para lembrar: São Paulo é a 6ª metrópole em poluição do ar, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).
Essa é uma lei panfletária. Que está impressionando. Muitas pessoas estão se sentindo mais protegidas. Com pulmões mais limpos. A isso alguns dirão: “mas será bom para os fumantes também. Fumarão menos”. Doce ilusão. Continuarão fumando. Mais até. Apenas freqüentarão menos bares, restaurantes e visitarão menos a mim também.
Eu, um pequenino café. Com muitos e fiéis amigos. Alguns fumantes. Outros não. Imagino que haja tantas coisas a serem feitas. Tantas leis a serem criadas e cumpridas. Tantos escapamentos a serem fiscalizados. Chaminés de Fábricas. E a preocupação com o recolhimento de lixo reciclável, como anda?
Enfim. Não defendo o cigarro ou os fumantes. Que traz diversos problemas à saúde é de conhecimento geral. O grande problema é impedir que as pessoas que optaram por usar o cigarro, pratiquem esse hábito socialmente. Mesmo que em áreas restritas a elas. Ou, ainda, em espaços abertos. Respeito é bom e todo mundo gosta. Até mesmo os demoníacos fumantes.

Mariana Primi Haas - MTB 47229                                                                                                                                        Abril/2009

9 comentários:

Luiz Galvão disse...

É isso mesmo cafezinho.
Odeio esses "puritanos" fumantes passivos.
Mas sempre te pego num copo de plástico e me mando para saboreá-lo quentinho, entre goles e tragadas gostosas.
Abaixo a hipocresia dessas leis oportunistas né? E que morram os pentelhos anti-tabagismo bem podres de CO2..kkkkk

Anônimo disse...

"SAIA JUSTA"

Regina disse...

Mesmo não sendo fumante sou contrária a tal da lei. Até porquê, todo mundo sabe que o senhor governador tem ogeriza a cigarro, desde e sempre. Agora, no alto de seu poder, aproveitou para legislar em causa própria e fazer uma média com os não fumantes que odeiam fumaça. Mas concordo com o cafezinho, esses não deixam de frequentar as ruas mais movimentadas de São Paulo e inalar seu ar poluído. Odeio hipocrisia, e tenho dito!

Toninho Moura disse...

Eu era um fumante. Gostava de fumar, e não queria parar. Então, fiz um acordo com o cigarro: fumo quando quero, e não quando meu corpo pede. Deu certo! Perdi o vício e mantenho o hábito!
Proibir os fumantes? Assim, logo vão proibir os canhotos!

Arthur disse...

Como diria Caetano nos seus áureos tempos: é proibido proibir, é proibido proibir...

Tally disse...

poluição não tem o cheiro péssimo de cigarro, pra começar, hehe... e cigarro, pra quem não fuma, definitivamente não combina com um ambiente em que se come, bebe e afins. nojinho e tal, hehe

Edu Chianca disse...

Creio, meu caro Café, que a questão é mesmo de viéis jurídico. Se "Fumar é uma atividade lícita", a luta contra o tabagismo soa no mínimo ridícula.

Separação de ambientes tbm vejo como a primeira saída. Se o problema é de saúde pública, que se faça algo mais coerente.

E mais, outros vícios (televisão, corrupção) causam males às vezes maiores, os que não atingem o corpo, mas a existência.

Bons aromas a todos.

Anônimo disse...

Fumantes q me perdoem,mas os acho suicidas,verdadeiros doentes psiquicos.E de mais a mais cigarro e´ coisa de velho .

Michelli disse...

Caro "anônimo", acho que ótimo que você tenha uma opinião tão respeitosa como essa a expor! Mas que tal se você colocasse seu nome, caso contrário parecerá que quer se esconder... Será?

PS: Eu também não sou fumante!