sexta-feira, 20 de junho de 2008

Crônica 2: A Lágrima

Ela chegou triste. Abatida. E olhava longe, tão longe que podia ver o mar. Não era um mar tranqüilo; era revolto, transtornado, com ondas quebrando fortemente na praia, deixando suas marcas na areia.

Por um segundo, imaginou-se mergulhando, mas não podia. Voltou a si, lembrou-se da realidade e, claro, convidou-me a sentar com ela em sua mesa. Uma... Duas vezes...

Assim que fui colocado na mesa, à sua frente, senti um arrepio, era uma lágrima salgada e morna que caia em minha xícara. Ficou ali me olhando, olhava tanto que parecia poder ver meus grãos seletos, fiquei envergonhado... Mesmo sabendo que não era até mim que seus pensamentos caminhavam...

Dessa vez não fui chamado a dividir uma espera, daquelas gostosas de ter, uma saudade, nem para afogar a ansiedade gerada depois de um agitado dia de trabalho. Chamou-me apenas para consolá-la, para compreendê-la, para que pudesse ficar quieta e aquecida.

Não me quis com chantilly ou leite, optou por algo mais forte. Chamou-me puro, expresso, forte e curto dispensando até o mesmo o açúcar ou o adoçante. Talvez procurasse a realidade... Talvez quisesse gritar... Mas não podia.

E eu, como um vira-latas que encontra um lar, fiquei ali, companheiro, parado e consolador. Apenas vendo ela ainda mais linda triste, exausta de pensar, de sentir.

A noite caiu e ela ainda estava lá. O celular tocou. Susto. Não era quem ela queria. Que bom. Virou-se, deu seu último gole e me colocou de volta no pires. E eu tive certeza que da próxima vez que nos encontrássemos seria eu aquecido pelo seu sorriso e não salgado por uma última e insatisfeita lágrima.


Mariana Primi Haas - MTB 47229 
Junho/2008

11 comentários:

Vera disse...

Ah! quantos sentimentos contidos em uma simples lágrima.

André Alves disse...

O café realmente é nosso companheiro em muitos momentos de alegria e tristeza. Nos faz pensar e refletir sobre a vida!

Urbano Lemos disse...

Conheço algumas 'doses' de pessoas que enquadrariam-se nesse contexto cafesofilo...O curioso é que o motivo é o que menos importa! Esperar passar uma dor é uma prece!!! abração Mari. Show....sempre.

Regina disse...

Êta cafezinho bom!!! Bom ouvinte, bom companheiro, bom calado.

Marluce Gomes disse...

Café sempre gostoso. Com risos com lágrimas ou para dividir esperanças.... preferencialmente com alguém. Muito legal!!!

Marcela Fonseca disse...

Momentos felizes, tomo café. Momentos tristes, tomo café!!! Tomo café, logo existo!!! Beijão...

Neide disse...

Nada como um bom cafezinho como uma companhia solitária para refletirmos sobre os bons e tristes momentos da vida... São tantas emoções...

Galvão disse...

Querida amiga..às vezes você me faz ter vontade de virar um café.....bjos.

Helo disse...

Quntas pensamentos, dividimos com ele, quantas palavras mudas são ditas, quantas despedidas,quantas chegadas,quantas esperanças, de xicara em xicara de gole em gole, descrevemos nosso sentimento, nada como um café após o outro!! Salute!!Bjos querida!!!

Tally disse...

café, pra mim, é sinônimo de trabalho.... uahahahah... parabéns, próxima! tá um arraso! beijo

Eliane disse...

Que idéia bacana Mariana ! Eu já havia lido antes, mas não consegui mandar uma mensagem. Os textos estão muito agradáveis, assim como um café. Voltarei sempre. Beijos Eli