quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Crônica 39: O Açúcar


















Duas senhoras com o sotaque bem diferente, do que eu estou acostumado, sentaram-se à mesa. Pareciam vindas de algum lugar no interior de Minas Gerais. Engraçadas. Comentavam sobre o susto que tomaram ao chegar à cidade. Estavam achando tudo grandioso demais.
Já acomodadas e um pouco mais acostumadas aos zunidos dos carros. O falatório das pessoas. O ir e vir dos transeuntes. E, principalmente, a pressa de quem passava. Olharam com bastante calma o cardápio. Dedicaram seu tempo àquela atividade. Decidiram. Antes que pudessem erguer os braços, o garçom já estava ali. Pronto para registrar seu pedido.
- Por favor, gostaria de dois cafés, uma torta de limão e uma de chocolate.
O garçom anotou com esmero e em cinco minutos os doces e o café já haviam sido servidos. As duas estranharam a rapidez e chamaram o garçom.
- Essa torta não foi feita agora, não?
- Não, senhora. Ela fica pronta para ser consumida e acondicionada. – Estranhou o rapaz.
- Ah tá... Que estranho...
Resolveram experimentar. Gostaram. Seguiram, então, para provar o meu sabor. Café é café em todo lugar, comentaram. Mas não é bem assim, após o primeiro gole, o susto.
- Nossa senhora, que café forte! Está intragável!
Chamaram novamente o jovem que estava atendendo a mesa.
- Infelizmente este café está quase só pó... Forte demais! Eu gostaria dele mais fraco e doce.
- Fraco e doce? Senhora, trabalhamos apenas com café expresso aqui.
- Sim... Mas será que não poderiam trazê-lo mais fraco e doce? Não dá pra tomar café desse jeito.
Com olhos assombrados, o garçom seguiu até a cozinha e conversou com o barista. Explicou a situação. O homem ficou empertigado. Sentiu arrepios só de pensar em fazer um café fraco... E doce. Eu, pessoalmente, não entendo. Se me desejam fraco, talvez a escolha correta seja chá. E doce... Ai... Fico enjoado quando colocam muito açúcar em mim.
O barista caminhou até a mesa para entender o que acontecia. As duas explicaram que o jeito correto de se passar um bom café era misturando pó com açúcar e acrescentando bastante água. O homem não acreditou. Passar café com açúcar?
Eu fui ficando nervoso. Ser coado com açúcar já é um insulto. Sinceramente. Já estava gelado e sem a menor vontade de servi-las. Aiaiai... Por sorte meu fiel escudeiro, o barista, recusou-se a preparar o café como elas queriam, ao modo de Bocaina de Minas. Ufa!
Descontentes, as duas senhoras cancelaram o café. Esnobaram-me. Foi uma pena não ter caído no colo de ambas. Imagine você: fui trocado por um suco. Mas a vida é assim mesmo, café não é igual em todos os lugares. E a maior prova disso sou eu.


Mariana Primi Haas - MTB 47229 
Fevereiro/2009

7 comentários:

Rebêlo disse...

impressionante como a gente sempre encontra outros amantes do café. no meu caso, é puro mesmo. sem nada.

Toninho Moura disse...

Esta é a graça do café: cada lugar tem o seu jeito e o seu charme. Claro que é difícil se acostumar com alguns. Já tomou aquele feito com o pó diretamente na chícara?
Braços!

Anônimo disse...

Em MINAS GERAIS o café é mesmo assim, como você descreveu.
E se a gente vai visitar uma série de pessoas, em várias casas... corre o risco de tomar esta "garapa" várias vezes.

Luiz Galvão disse...

"Café... tem gosto de festa
É melhor e mal não faz
Ontem, hoje, sempre
Café, café café...
O preto que satisfaz" rs srsr

Essa história me lembrou tbém as cafeteiras italianas do século passado rs rs...
Vai servir um café mineirinho para um carcamano como eu, vai...kkkkk
but..Sr, cafezinho; Me desculpe, mas fervo a água com açucar e mando bala...e o meu café nem reclama...fica quietinho e sai gostoso a bessa....forte e doce.

Muito bom amiga..legal vc incrementar mais visual ao seu observador e destemido cafezinho.
Parabéns..um bom texto tbém...

Regina disse...

Êta cafezinho "bão sô".
Mas mesmo com toda a incrementação, baristas com receitas inusitadas, um bom café feito no bule, agrada e muito.
Claro, quando coado sem açúcar, deixando este ítem ao gosto do freguês.

Tally disse...

gente, mas que café metido!! eu só tomo café com MUITO açúcar. ou açucar com um pouquinho de café, hehe...

Anônimo disse...

Sempre puro e forte. Não dá para encarar café fraco e doce.